Arquivo da tag: ypióca

Ao melhor estilo TFC

(TFC é a sigla para um grupo de amigos que se auto-intitula Filhos da Cachaça)

O dia da goleada!

Mais um fim de semana que veio rápido e se foi na velocidade da luz. Mas porque tudo acaba tão rápido? Como pode?

É simples! Você sai pra beber com os amigos, toma mais do que deveria e não vê as horas passarem. Quando se dá conta, já é segunda-feira e você tá com aquela cara de quem dormiu pouco na semana passada e quase nada no fim de semana!

Desta vez, o grupo foi para um bar nos arredores da Universidade, onde a bebida é farta e a grana é curta!

Sem tomar conhecimento de limites, todos bebem e falam, confraternizam com o restante que está ao redor. Mas, como nada é perfeito, o bar fecha quando o relógio marca meia-noite e todos os que tem sede devem cair fora e procurar outro boteco pra beber.

Só me lembro de estarmos noutro bar, com uma dose de Ypioca na mão e um copo de cerveja na outra. Não preciso dizer que não faço ideia de quanto tempo ficamos lá, mas pra mim foi uma fração de segundos. Mas me lembro de ter pedido pro dono do bar colocar um som mais pesado e ele colocou um Dream On do Aerosmith (e eu fiquei muito triste com isso). Em algum momento, quando já não descia mais nada, chamaram pra virar um “bombeirinho”! Quanta displicência fazer isso com um puto que já está em vias de jogar as tripas pra fora? Outra recordação que tenho é de eu voltar pra casa a pé, acompanhado do nosso querido amigo paraibano…

Chegando em casa só lembro de ter tirado as roupas e deitado na cama. Tive um sonho muito estranho em que eu estava passando mal, jogando tudo pra fora. Quando acordei, olhei para o chão (que estava sujo), aquilo não parava de sair do meu corpo e eu não conseguia sair do lugar, senão ia sujar o resto do quarto. Sem saber o que fazer, esperei até a última gota de restos sair e só chegando no banheiro que fui perceber o estrago que aquela tarde havia feito no meu corpo. O cheiro de azedo dominava o quarto e eu não sabia o que fazer (bêbado, com sono e com o quarto inteiro lavado pela alegria da tarde que se transformou em agonia e fedor, é impossível reagir), a não ser limpar tudo aquilo, tirar os lençóis da cama e as fronhas dos travesseiros e depois dormir de novo, esperando não ter outro pesadelo como esse!

14h da tarde (sim, tive coragem de olhar pro relógio agora e sei que horas são) agora e o cheiro ainda persiste!

Anúncios

1 comentário

Arquivado em cachaça, crônicas

Falando sobre Copa

Sim, falar sobre a copa do mundo…

Deve render umas boas vizualizações no blog.

Então vamos lá:

Estava eu vendo um joguinho fraco, daqueles que não dá vontade de ficar acordado.

Tive uma ideia fantástica: Pegar uma loura gelada e ser feliz!

Virei a latinha guela abaixo.

Peguei outra latinha, meio quente.

Assisti um pouco do jogo.

Levantei do sofá.

Coloquei o amendoim pra torrar.

Voltei pro sofá com outra latinha.

Coloquei no canal do boi.

Peguei outra garrafa.

Juntei um pouco do amendoim com sal e voltei pra sacada.

Tomei outra dose e sentei no sofá.

Desliguei a TV pq as vuvuzelas já estavam enchendo o saco!

Tentei apagar o princípio de incêndio por causa dos amendoins (esquecidos) no forno.

Sem sucesso na tentativa de apagar o fogo, o vizinho chamou o corpo de bombeiros.

Desci pra não morrer cozido naquele forno que ficou meu apartamento.

Senti que tava faltando alguma coisa: Minha latinha ficou lá em cima!!!

Fui ao mercado e comprei uma garrafa de Ypióca Oro.

Cansei de andar e parei numa Lan House pra fuçar na internet enquanto esperava a preguiça passar.

Contei uma lorota num blog e fui pra casa dormir feliz e contente.

Chegando em casa, vi uma puta zona e um carro dos bombeiros.

Puta merda! Lembrei que minha casa tava pegando fogo…

E o jogo?

Ah sim, ficou Zero a Zero e o Dunga ainda achou que o time foi bem!

Um abraço.

1 comentário

Arquivado em cachaça, Cana, Conto

Inusitado

Bem, meus amigos, espero estar com a devida inspiração para escrever esta história.

Aconteceu num apartamento perto de casa (todo mundo travado e bem louco),

Era fim de semana e todo mundo enchia a cara (todo mundo travado e beeem loco),

Mas antes de amanhecer (como sugere a próxima estrofe da música das Velhas Virgens), Queguido acorda assustado com uma imagem (eu diria) dos infernos… Eu não consigo imaginar uma cena tão ridícula e inexplicável (ok, explicação tem sim e a culpa sempre é da cachaça), mas tem gente que simplesmente não combina com álcool!

Numa noite quente e recheada de cerveja barata boa, ypióca, Drurys e (bio)similares, nossos amigos se reuniram para conversar e jogar cartas e, entre uma conversa e outra, Baga se levanta e vai até o banheiro. Acredita-se que ele ficou  entre 45 min e 1h no banheiro, mas como a noção de tempo na cabeça de um bêbado é totalmente prejudicada, digamos que ele sumiu por uns 15 minutinhos.

O carteado recomeça e as latinhas (na verdade eram litrões) de cerveja já haviam terminado, o Drurys (Cacilds!) tinha virado lenda e só restou um pouco mais de meia dose de Ypióca na garrafa, mas o jogo seguia. Entre um blind e outro, Baga tentava se levantar, sem sucesso obviamente, até que uma hora obteve êxito em sua empreitada e se desloca até o banheiro (bom, era isso que tínhamos em mente até então). Ele até queria ir pro banheiro, mas aí…

Dentro de uns minutos, Queguido sai correndo do quarto, pálido, apavorado e sem falar coisa com coisa. Mas após se acalmar ele diz: “Véglio, tava dormindo sossegado mas acordei com um barulho no quarto. Quando abri os olhos dei de cara com o Baga agachado entre o guarda-roupas e a minha cama! Com as calças arriadas!!! Ele tava indo cagar no meu quarto e, se eu não tivesse acordado, ia pisar num troço de manhã!”

Particularmente não sou contra quem bebe muito e sem limites, mas put*queopariu, vai ficar louco assim na casa do caralh*!

Essa foi a história de Baga que, de maneira incompreensível, quase fez uma atrocidade com um de nossos amigos!

Estamos devendo a história da Princesa, dois amigos e um Sofá. Em breve esta linda história de amor estará publicada aqui no Crônicas, aguardem!

2 Comentários

Arquivado em cachaça, crônicas

Saint Patrick’s Day

Boa noite, cachaceiros!

Hoje é dia de celebração e não é uma qualquer! É dia de São Patrício!!! (???)

É…Confesso que Saint Patrick não é um nome muito difundido no nosso país, mas alguns Pubs tem feito campanhas juntamente com a cerveja irlandesa Guinness para promover o dia 17 de março e, obviamente, ganhar uma grana extra.

Para comemorar hoje, nada melhor do que uma boa cerveja irlandesa, mas se no mercado perto da sua casa não tiver tal cerveja, vai uma Antarctica mesmo ou aquela dose de Lua Cheia, Meia Lua, Saliníssima, Pirassununga, Ypióca, Muzambinho, enfim, qualquer dose de álcool hoje é bem-vinda.

Dizem por aí que em países que celebram o dia de São Patrício existem desfiles, as pessoas vão às ruas, bebem, caem, levantam, bebem de novo, caem de novo…Tá com cheiro de carnaval isso aí hein ou Oktoberfest, ou coisa que o valha!!!

Um abraço e Happy Saint Patrick’s Day!

Reblog this post [with Zemanta]

1 comentário

Arquivado em cachaça