Arquivo da tag: bambi

Crônica da Memória

Memória falha

Sabe quando você chega em casa, cansado pra cacet* de tanto der enchido o c* de cachaça o dia inteiro, senta no sofá só pra dar um tempo antes de ir pra cama mas acaba dormindo?

É, acontece com todo mundo… Mas com um queguido amigo nosso aconteceu algo semelhante, mas com um teor a mais de álcool!

Queguido (sim, chamaremos nosso amigo de Queguido) é um rapaz novo e seu charme é algo único, consegue encantar com poucas palavras, uma vez que tem a língua pguesa e suas frases e pérolas caem no gosto da rapaziada. Em pouco tempo morando na república dos tgutas, ele se já passou por celebridades como Madgue Teguesa, William Wallace e Boça, já tomou meio litro de Muzambinho dizendo que quem toma cachaça tem “sangue na veia”… Tudo em consequência de ter ingerido doses cavalares de álcool! E por mais que ele tente azucrinar a galera, encher o saco de todo mundo, não consegue pelo simples motivo de sempre fazer todo mundo dar boas risadas com suas pérolas.

A última vez que tive notícias do paradeiro de Queguido foi num desses fins de semana quando a gente reúne a galera pra fazer um aquece pras festas, mas no meio do caminho (entre um bar e outro, entre uma festa e outra no mesmo dia) acabamos perdendo nosso amigo de vista por uns momentos, mas isso nunca foi um problema, sempre tem um perdido que cai num canto e fica passando mal.

Mas vejamos o relato de um de nossos amigos ítalo-oriental sobre o dia em que perdemos Queguido:

Estava eu dormindo como uma pedra em minha cama, depois de encher a cara, quando ouço o barulho de alguém urinando no lavabo – mas que engraçado, achei que estivesse sozinho em casa, todos estão viajando…

Intrigado por ouvir coisas que não deveria estar ouvindo e quase chegando a conclusão de que ainda estaria embriagado ouço a descarga e logo me levanto para ver que Diabos está acontecendo e, para o meu alívio, não estava escutando coisas, realmente alguém usou a privada. Olho no quarto de Saulo, ninguém. Olho no quarto de Xavequinho, nada também… Só me restava olhar na sala e aí sim, encontrei um gordinho esparramado no sofá, a televisão ligada no canal da programação dos canais da TV a cabo e uma dúvida na cabeça: Como Queguido veio parar aqui? Ou melhor, onde ele se meteu?

Passado o dia, ou a noite, um dos colegas de república de Queguido apareceu e resgatou o gordinho da língua pguesa e logo as coisas foram se esclarecendo…

(Fim de um relato ítalo-oriental)

Sabendo que Queguido é sonâmbulo, concluímos que ele ficou muito loco de bêbado (tá, isso todo mundo já sabia), dormiu no bar (ou em alguma das festas que fomos) em algum momento da noite e voltou pra casa, mas a antiga casa, que ele morou até alguns meses antes desse ocorrido… É a única explicação, não tem como ter sido outra coisa! E acredito que muitas pessoas já acordaram em algum lugar se perguntando: Como vim parar nessa espelunca???

E você, puto de mierda, tem alguma outra ideia do que possa ter acontecido?

Obrigado e boa semana!

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em cachaça, Cana, crônicas

Futebol de quarta-feira?

Hoje era pra ser um dia de futebol, cervejinha de leve e muita conversa no bar.

Mas como nem tudo são flores nessa vida, só rolou a cervejinha e a conversa mesmo. Não que eu esteja reclamando do papo com os amigos e nem da cervejinha gelada, mas faltou um jogo do Timão, porém, o que alegra e alimenta nossos corações corinthianos é a desgraça de um tal de Palmeiras, que leva uma surra em casa pro Santo André no Paulistão 2010!

Seja com futebol ou sem futebol, a quarta-feira tem que ter um gostinho de suco de cevada só pra tirar o amargo de alguma coisa de ruim que aconteceu no dia.

A Quinta-feira está aí e, advinhem, o fim de semana também! É rapaziada, geralmente é amanhã (quinta) que começa a farra. E pra começar a comemoração, uma imagem pra ficar na memória da rapaziada:

Coat of arms of Santo André

Image via Wikipedia

2 Comentários

Arquivado em cachaça

O Amante Latino e a Flor



“Entre tapas e beijos…”

Era um fim de semana qualquer para um grupo de amigos qualquer no ano de 2000 e tantos. Sentados em um bar, grupos de pessoas degustam suas cervejas e observam as mesas ao seu redor sem imaginar o que estava por vir.

O bar, já cheio, recebe mais um grupo de amigos recém-chegados de uma conhecida cervejada universitária de Londrina – PR, provavelmente um “MED Churras” ou um “Agrozoo”, e este grupo aparenta estar devidamente embriagado. Chegando na mesa, este seleto grupo de mamados começa a cantar e causar confusão no bar com suas vozes roucas e moles de tanta cachaça.

Rosa, que chegou mais pra lá do que pra cá no bar, é uma figura única e que não tem limites quando o assunto é beber. Não existe “beber moderadamente”, só “tudão”.

De tanto encher o saco das pessoas que já estavam na mesa antes do grupo chegar ao bar, Chinês faz uma aposta com nosso amigo Rosa que, de imediato, sobe em uma das cadeiras do bar, mostrando que estava muito bem e que suas pernas não estavam bambas. Mas a proposta era Chinês e Rosa subirem juntos pra ver quem agüentaria ficar em pé na cadeira. Claro que Rosa subui sozinho e de pronto foi ao chão, como era de se esperar, mas o que aconteceu depois foi o mais interessante.

Rosa, ao provocar Amante Latino, solta um tapa no rosto de A.L. mas com uma força que não se sabe de onde veio, só se sabe pra onde foi a mão: no rosto de A.L. ! (O interessante foi a velocidade da resposta de A.L. na cara de Rosa)

Todos ao redor riam e queriam saber o desfecho da história. Todos queriam ver mais tapas, até o negócio ficar sério e todo mundo soltar a mão fechada na cara do outro! Mas, para a surpresa de todos, os dois começaram a trocar carícias e se aproximaram tanto, mas tanto, que todos ficaram perplexos achando que eles estariam se amando, pra valer! Hehehe

Bom, não existem muitas lembranças na memória e ninguém sabe ao certo o que aconteceu naquele dia, se eles realmente tiveram um momento íntimo naquele bar na frente de todos ou se foi só ilusão (visto que todos estavam devidamente embriagados), mas temos imagens em nossos computadores e a foto que melhor ilustra o estado de embriaguez de todos é essa:

Quando o dinheiro era gasto somente com bebidas

Deixe um comentário

Arquivado em cachaça

Cachaça e Sexta-feira

Bottles of Cachaça.
Image via Wikipedia

Cachaça e Aaaah…

Sim, hoje é sexta-feira! Dia de cachaça e aaaah, mas não é um “aaah” de “ai, que alegria”, é um de “Agoooooooooooooora fud**”. E porquê isso? Porque é hoje que o pau come, que a gente chuta o pau da barraca, bota pra fud*, chupar a teta do traveco (aí também não hein!!!).

É o dia da bebedeira pra muita gente chegar com os dois pés no peito do sábado sem medo de ser feliz! E por falar em felicidade, ontem teve um jogo de uma tal Libertadores da América que foi fantástico. De virada, o Once Caldas derrotou em casa o time mais chupador de teta de travesti, o time dos Bambi, o São Paulo Fashion Week! Quer dizer, o São Paulo!

Acho que hoje eu vou comemorar esse feito tomando Once doses ou Once latinhas!!!

Parafraseando as Velhas Virgens: “Vamo botá pra fudê hoje à noite, pra não parar nunca mais!”

Um abraço!

Reblog this post [with Zemanta]

Deixe um comentário

Arquivado em cachaça