Arquivo do mês: setembro 2010

Voltando

Não espero que os textos aqui expostos façam sentido, justamente por que é quase certeza que eu escrevi tomando um mé, aí não faz sentido mesmo, por que bêbado mal consegue falar, quanto mais escrever… Imagine só, beber uma dose, escrever duas linhas, tomar outra dose (de inspiração – bom nome pra cachaça esse se não existir uma com esse nome) e escrever mais 4 linhas, e por aí vai. Acho justo ficar falando besteira pras outras pessoas, elas não entendem e às vezes dão risada. Começo a escrever rápido e vai ficando cada vez mais rápido até que a bebida acabe. Aí acaba a graça também. Que nem naquele dia que o cara chupou a teta do traveco. A graça acabou na hora que eu percebi que nunca ia ver o vídeo dessa cena, tudo tão surreal que imagino o que teria passado pela cabeça do indivíduo, jogado no chão e (do nada) vem uma teta na direção dele e, veja você, de graça!!!

Queria ter mais tempo pra poder beber e conversar com os amigos. Esses dias mesmo juntamos um pessoal e a conversa foi que uma beleza, mas aí depois acaba a cerveja e todo mundo fica com sono, querendo ir embora. Se a gente tivesse mas dinheiro o papo ia até mais tarde.

Acho que as pessoas se cansaram de ler mais do que 140 caracteres.

Então só escreverei, daqui pra frente, textos curtos.

Assim, todos ficarão mais felizes.

Mas não faz sentido.

É muito mais divertido escrever tudo de uma vez na mesma linha. Assim não se perde o raciocínio e a história fica mais engraçada! Parece que se está falando e não escrevendo, parece que se está ouvindo e não lendo!

E o álcool tomou conta de mim…

Deixe um comentário

Arquivado em cachaça

O corpo voltou

Cara, cadê minha memória? Onde eu fui e o que eu fiz que me deixou tão por fora assim?

Lembro de ter acordado num sofá, em uma casa estranha, mas que logo vi que era de um conhecido, mas como fui parar lá? Tô lembrado de estar tomando umas cervejinhas no ônibus – durante a viagem – até que alguém apareceu com daqueles garrafões de vinho, um pacote de Cheetos e gritava alguma coisa que não consigo lembrar.

Daí pra frente foi…eu subi num capô de um carro…Ele andou, eu caí…não sei quanto tempo passou da minha queda até eu me levantar e entrar no supermercado (ou era farmácia?).

Aaaaaaaah, não lembro! Nossa, porque meu rosto tá todo ralado? Será que eu briguei ou será que ficou assim depois que eu caí do carro?

Putamerda, deixa pra lá.

Só sei que foi a viagem mais louca que eu já fiz!

Deixe um comentário

Arquivado em cachaça